Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de fevereiro de 2017. Atualizado às 19h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 21/02 às 19h13min

Cenário externo favorece leve alta do dólar em dia sem grandes indicadores

O dólar operou em leve alta durante quase toda a sessão nesta terça-feira (21). Chegou a virar muito brevemente para o negativo no meio da tarde, mas depois voltou a subir. Operadores comentam que não existiram drivers claros hoje, mas no exterior prevaleceu uma tendência de valorização da divisa norte-americana, em meio a comentários de dirigentes do Federal Reserve e cautela com a Europa.
O dólar à vista no balcão fechou em alta de 0,18%, a R$ 3,0942, depois de ter oscilado entre a mínima de R$ 3,0877 (-0,03%) e a máxima de R$ 3,1085 (+0,64%). O giro registrado na clearing de câmbio da BM&FBovespa foi de US$ 1,627 bilhão. No mercado futuro, o dólar para março fechou em alta de 0,23%, a R$ 3,1000. O volume financeiro somou US$ 13,6 bilhões. No fim da tarde, o dólar avançava ante a maioria das moedas emergentes e de países exportadores de commodities, como o rand sul-africano (+0,73%), a rupia indiana (+0,07%) e o dólar canadense (+0,09%).
Sem grandes notícias hoje, a expectativa do mercado é pela reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) amanhã. Apesar de a probabilidade amplamente majoritária ser de corte de 0,75 ponto porcentual, começam a crescer as apostas de uma surpresa com um afrouxamento mais forte, de 1 ponto porcentual. "Está todo mundo esperando o Copom", comenta Paulo Correa, da MultiMoney Corretora.
Um dos fatores que colaboraram para a volatilidade no câmbio hoje é o vencimento da Ptax. Com o carnaval na próxima semana, a Ptax de fim de mês será decidida nesta sexta-feira (24). Além disso, segue a incógnita sobre o programa de swap cambial. Hoje, o Banco Central rolou mais 6 mil contratos. Se mantido esse ritmo até o final do mês, a autoridade rolaria apenas US$ 2,4 bilhões dos US$ 6,953 bilhões que vencem no dia 1º de março, considerando que não atue no último dia útil do mês.
No exterior, alguns dirigentes do Federal Reserve se manifestaram nesta terça-feira. O presidente da distrital da Filadélfia, Patrick Harker, afirmou que o banco central americano pode elevar as taxas de juros já no próximo mês, embora seja preciso antes aguardar os próximos sinais da economia. "Há ainda mais dados por sair antes da reunião de março", comentou com repórteres após um discurso na Universidade da Pensilvânia. "Eu quero levá-los em conta antes de tomar uma decisão final. Mas neste momento eu não descartaria isso."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia