Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017. Atualizado às 18h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/02 às 19h06min

Ouro fecha em queda em Nova Iorque, mas avança na semana com incerteza política

O ouro fechou em baixa nesta sexta-feira (17), mas perto da estabilidade. Ao longo da semana, porém, o metal obteve o terceiro avanço semanal consecutivo, já que as incertezas políticas aumentam a demanda por ele.
O contrato para abril, negociado na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou hoje em queda de 0,2%, a US$ 1.239,10 por onça-troy. Na semana, o ouro avançou 0,3%.
O analista Lukman Otunuga, da FXTM, afirmou que a fraqueza recente do dólar - embora a moeda tenha avançado hoje - e notícias relativas ao presidente dos EUA, Donald Trump, encorajaram investidores a vender ouro nesta sessão. Segundo ele, porém, o metal segue com tendência positiva no curto prazo, diante das incertezas políticas crescentes pelo mundo.
Otunuga diz que a forte probabilidade de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) eleve os juros neste ano pode pressionar o ouro no prazo mais longo. Por outro lado, uma série de eventos na Europa, como a saída do Reino Unido da União Europeia e eleições importantes neste ano, como as de França e Alemanha, pode apoiar o ouro no curto prazo.
Nesse quadro, o ouro nesta sexta-feira ficou em geral de lado, mesmo diante da força do dólar, disse Anthem Blanchard, executivo-chefe da Anthem Vault and Amagi Metals. Fonte: Dow Jones Newswires
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia