Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017. Atualizado às 18h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 16/02 às 19h14min

Bovespa tem dia de correção e cai 0,24%

O mercado de ações manteve a percepção positiva com o cenário doméstico, mas acabou por ceder a um movimento de correções nesta quinta-feira (16). Embora tenha chegado a superar o patamar dos 68 mil pontos, o Índice Bovespa perdeu fôlego e terminou o dia em baixa de 0,24%, aos 67.814,24 pontos. Os negócios somaram R$ 9,4 bilhões.
A queda coincidiu com um movimento negativo das bolsas de Nova Iorque, que há dias também surfam em uma onda de otimismo e hoje recuaram. Operadores citaram ainda um ajuste do mercado depois do exercício de opções sobre o Ibovespa, que ajudou a inflar a alta de 1,89% do índice ontem.
As ações dos bancos foram os principais alvos das ordens de venda, devolvendo parte dos ganhos recentes. Santander Unit teve queda de 2,27% e Itaú Unibanco, de 1,94%. A exceção ficou com os papéis do Banco do Brasil, que mais cedo divulgou resultado financeiro de 2016. Apesar do lucro considerado fraco, analistas acabaram por valorizar indicativos de um desempenho melhor em 2017. Na contramão do setor financeiro, BB ON subiu 3,23%.
Os papéis da Vale tiveram sua terceira queda consecutiva, ainda atribuída a uma realização de lucros. Os papéis caíram 0,15% (ON) e 0,19% (PNA) e contribuíram em menor parte para a baixa. O setor siderúrgico acompanhou a baixa da mineradora e teve entre os destaques CSN ON (-0,95%) e Usiminas PNA (-1,09%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia