Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017. Atualizado às 13h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

16/02/2017 - 14h14min. Alterada em 16/02 às 14h16min

Avon tem alta de 7% na receita no Brasil no 4º tri, descontando efeito cambial

Os números da companhia no Brasil se destacam na comparação com o resultado global da Avon

Os números da companhia no Brasil se destacam na comparação com o resultado global da Avon


AVON/DIVULGAÇÃO/JC
A companhia de cosméticos Avon reportou crescimento de 7% na receita no Brasil no quarto trimestre de 2016 na comparação com igual período do ano anterior. Essa variação no resultado da empresa, que é apurado em dólares, desconsidera a variação cambial do período. Se for considerado o impacto do câmbio, a receita no Brasil subiu 27%.
A Avon informou que o crescimento de receita no Brasil ocorreu por uma alta no tíquete médio dos pedidos. As operações da Avon na América do Sul registraram crescimento de 7% no valor médio dos pedidos neste último trimestre de 2016 ante igual período de 2015 enquanto o volume de unidades vendidas caiu 8%.
A Avon ainda informou que o número de revendedores caiu 1% na América do Sul. A queda, porém, é a menor entre as regiões de atuação da companhia. Na Europa, Oriente Médio e África, o recuo na quantidade de revendedores foi de 2% e, na região Ásia Pacífico, de 9%.
Os números da companhia no Brasil se destacam na comparação com o resultado global da Avon. A receita consolidada em todas as regiões de operação da companhia teve queda de 2% no último trimestre, com a empresa enfrentando um recuo no número de consultoras que vendem seus produtos. A receita caiu para US$ 1,57 bilhão, saindo de US$ 1,61 bilhão no mesmo período do ano anterior.
A Avon registrou prejuízo líquido de US$ 10,7 milhões nos três meses finais de 2016, que se comparam a uma perda de US$ 333,4 milhões no mesmo período de 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia