Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017. Atualizado às 19h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/02 às 20h03min

Dólar avança com plano tributário dos EUA e reunião de Trump com Abe

O dólar avançou ante moedas principais nesta sexta-feira (10), em que a reunião entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, esteve no centro das atenções dos investidores. Além disso, a expectativa quanto ao plano tributário do governo Trump continuou a impulsionar a moeda americana.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar avançava de 113,26 ienes na tarde de ontem para 113,40 ienes; o euro recuava de US$ 1,0665 para US$ 1,0639; e a libra caía de US$ 1,2501 para US$ 1,2487.
Durante a coletiva de imprensa que os dois concederam à tarde, Trump disse que trabalhará para assegurar um relacionamento "livre, justo e recíproco" com o Japão. Os dois disseram que pretendem criar uma nova estrutura para um diálogo, sugerindo que Tóquio concordou em seguir o plano de Trump quanto a acordos bilaterais.
A reunião entre Trump e Abe ocorre após Trump ter acusado o Japão de desvalorizar sua moeda para ganhar vantagem comercial sobre os EUA. Mais tarde, o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) negou que tenha desvalorizado o iene, dizendo que sua política monetária acomodatícia visa combater a deflação.
Questionado sobre seus comentários sobre as supostas interferências no câmbio de Japão e China, Trump afirmou que deve haver um "jogo justo" sobre as moedas, pois é o único modo de competir. Após esse comentário, o dólar chegou a cair ante o iene, mas se recuperou em seguida.
Brad Bechtel, estrategista da Jefferies, disse que a coletiva de imprensa não ofereceu muitas informações sobre como Trump irá agir no câmbio. Segundo ele, o plano tributário que o presidente pretende divulgar nas próximas semanas continua sendo o principal motor do dólar. Desde o início do ano, a incerteza sobre a reforma tributária e sobre os estímulos fiscais do governo Trump pesa sobre a divisa americana.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia