Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017. Atualizado às 16h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

negócios corporativos

Alterada em 09/02 às 18h00min

Juíza dos EUA veta plano de compra da seguradora Cigna pela concorrente Anthem

Uma juíza federal dos Estados Unidos, Amy Berman Jackson, determinou nesta quinta-feira que a Anthem não deve ter autorização para comprar a concorrente Cigna Corp., na segunda decisão judicial nas últimas semanas que representa um revés decisivo nos esforços de mudar o setor por meio de grandes fusões.
A decisão da magistrada aponta que o negócio proposto de US$ 48 bilhões viola a lei federal antitruste porque criaria uma redução inaceitável no número de companhias que podem servir grandes empregadores nacionais que oferecem planos de saúde a seus trabalhadores. No mês passado, outro juiz barrou os planos da Aetna de comprar a Humana, por razão similar.
Os juízes concluirão que essas fusões resultariam em preços mais altos e menos serviços, com os potenciais benefícios sendo superados pelos potenciais danos.
A Aetna avalia se apela no caso. Já a transação entre a Anthem e a Cigna não deve prosperar, já que cresceram as divergências entre ambas após o anúncio do acordo em julho de 2015. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia