Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de fevereiro de 2017. Atualizado às 15h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 08/02 às 16h10min

Bolsas da Europa divergem, de olho em balanços e quadro político

As bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta quarta-feira (8). Os balanços de empresas continuaram a movimentar os mercados, mas o quadro ainda era de cautela, diante de incertezas na arena política do continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,32% (1,16 ponto), em 363,90 pontos.
O cenário político, principalmente a corrida eleitoral francesa, segue no radar. Há o temor de que Marine Le Pen, de extrema-direita, ganhe mais espaço na disputa. A candidata da Frente Nacional tem uma plataforma anti-imigração e ameaça trabalhar para retirar o país da zona do euro, o que assusta os mercados. Além disso, a preocupação com o quadro econômico da Grécia volta a ganhar força.
Na bblsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,04%, em 7.188,82 pontos. Rio Tinto recuou 1,67% após divulgar balanço, no qual registrou lucro anual de US$ 4,62 bilhões em 2016. Entre as outras mineradoras, Anglo American caiu 0,34%, Glencore recuou 1,81% e Antofagasta teve alta de 0,06%. Entre os bancos, Lloyds recuou 0,83%. Entre os destaques positivos, LGO Energy avançou 8,99%, enquanto Ortac Resources ganhou 8,00%.
Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,05%, para 11.543,38 pontos. Lufthansa subiu 3,3%, diante de algumas quedas recentes no petróleo e também de uma avaliação positiva da ação pelo Société Générale. Commerzbank caiu 1,70% e Deutsche Bank recuou 2,05%, entre os bancos.
Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 subiu 0,26%, para 4.766,60 pontos. O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, avançou 0,58%, para 18.771,78 pontos. No setor bancário, Intesa Sanpaolo caiu 0,19% e UniCredit teve alta de 1,06%. Telecom Italia subiu 1,11% e, no setor de energia, Eni recuou 0,42%. Por outro lado, o papel da Fiat avançou 2,48%.
Na bolsa de Madri, o índice IBEX-35 recuou 0,02%, para 9.329,70 pontos. A ação do Santander caiu 1,39% e a do Banco Popular Español teve baixa de 0,71%, enquanto BBVA recuou 1,24%. No setor de energia, a ação da Iberdrola subiu 1,88%. Em Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 0,07%, em 4.560,11 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia