Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de fevereiro de 2017. Atualizado às 21h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 07/02/2017. Alterada em 06/02 às 20h28min

Simplificação tributária sai até o fim do ano

Para Henrique Meirelles, pagamento de impostos deve ser simples

Para Henrique Meirelles, pagamento de impostos deve ser simples


ANDRESSA ANHOLETE/AFP/JC
O governo prepara um programa de simplificação tributária que será adotado até o fim do ano. A promessa foi feita pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Temas mais espinhosos como a reforma do sistema estadual do ICMS ou do PIS/Cofins, porém, demandarão mais tempo, reconheceu o ministro.
"A simplificação de procedimentos tributários será implementada até o fim do ano. Essa é uma medida de maior importância porque hoje as empresas dispendem recursos humanos e técnicos importantes para simplesmente pagar impostos", disse o ministro após cerimônia para divulgar mudança no programa Minha Casa Minha Vida. A mudança, disse Meirelles, fará com que o pagamento de impostos "seja racional, simples e rápido".
O ministro da Fazenda notou, porém, que alguns temas tomarão mais tempo do governo para avanços. Ele deu como exemplo o complexo sistema estadual do ICMS e a estrutura do federal PIS/Cofins. Nesses casos, disse o ministro, a mudança "vai demandar mais tempo".
"Isso é a simplificação tributária no sentido de racionalizar e simplificar toda a estrutura tributária do Brasil. Esse é um projeto com prazo maior, mas certamente muito importante tal qual outros projetos que eram julgados como impossíveis como a questão do teto do gasto", disse Meirelles. "Também vamos enfrentar e será bem-sucedido."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia