Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 11 de fevereiro de 2017. Atualizado às 23h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Sistema Financeiro

Notícia da edição impressa de 03/02/2017. Alterada em 02/02 às 22h08min

Lucro do Bradesco cai, e inadimplência aumenta

Em tarifas, arrecadação cresceu 12,8% em todo o ano passado

Em tarifas, arrecadação cresceu 12,8% em todo o ano passado


FREDY VIEIRA/JC
Impactado pela inadimplência ainda em alta, o Bradesco fechou 2016 com lucro líquido de R$ 17 bilhões, queda de 4,2% quando comparado ao resultado de 2015. No quarto trimestre, o lucro foi de 3,9%, para R$ 4,4 bilhões. Os dados incluem o desempenho do HSBC Brasil, que foi incorporado aos resultados do banco no terceiro trimestre. O Bradesco comprou a operação brasileira do banco inglês em agosto de 2015 por R$ 16 bilhões, mas a operação só foi aprovada em junho do ano passado.
A carteira de crédito do banco terminou 2016 em R$ 515 bilhões, alta de 8,6% devido à entrada dos empréstimos que eram originalmente do HSBC. O banco, no entanto, segue restritivo ao conceder novos empréstimos. Entre o terceiro e o quarto trimestre, os empréstimos encolheram 1,3%, especialmente pela pouca disposição do banco em financiar micro e pequenas empresas (-7,3% no período).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Janaina Macedo calvo 10/02/2017 19h59min
A importância dos pequenos negócios no contexto econômico e social brasileiro vem crescendo gradativamente nos últimos 30 anos, as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) são alvo de atenção de analistas econômicos devido seu potencial de geração de renda e de emprego, entretanto, as dificuldades na obtenção de créditos e a pior recessão econômica da historia do Brasil, estão fazendo muitos fecharem as portas. Leiam o texto que Pedro Ivo Fator discorre sobre o tema e faz valer as dicas. Aprove