Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 10h55.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

30/01/2017 - 10h39min. Alterada em 30/01 às 11h58min

Com prisão decretada, Eike desembarca no Brasil e é levado pela Polícia Federal

Sem ensino superior, o empresário ficará no presídio Ary Franco, na Zona Norte do Rio de Janeiro

Sem ensino superior, o empresário ficará no presídio Ary Franco, na Zona Norte do Rio de Janeiro


Tomaz Silva/Agência Brasil/JC
O avião que trouxe de volta ao Brasil o empresário Eike Batista pousou na manhã desta segunda-feira (30) no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, o Galeão. Ele embarcou na noite deste domingo no voo 973 da American Airlines, no aeroporto JFK, em Nova Iorque. A aeronave tocou o solo brasileiro às 9h54min.
O empresário, que tem prisão decretada pela Justiça, foi escoltado por policias federais logo que desembarcou na pista do aeroporto. Eike não estava algemado, carregava apenas uma mala de mão. Por volta das 10h30min, ele chegou ao Instituto Médico Legal, onde passou por exame de corpo delito.
Eike estava foragido desde quinta-feira, dia 26, quando a Polícia Federal tentou cumprir um mandado de prisão preventiva contra ele, como parte da Operação Eficiência, que investiga um esquema de corrupção montado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB). O empresário é investigado por um suposto repasse de R$ 16,5 milhões em propina a Cabral.
O ex-bilionário deixou o Brasil dois dias antes da operação da PF, no dia 24. A prisão dele estava decretada pela Justiça do Rio desde 13 de janeiro. Como não tem curso superior, Eike deve ficar em um presídio comum. A Polícia Federal confirmou que o empresário será encaminhado ao Presídio Ary Franco,  na Zona Norte do Rio.
O advogado de Eike, Fernando Martins, disse neste domingo (29) que a estratégia de defesa do empresário ainda estava indefinida, inclusive sobre uma possível delação premiada. "Após a chegada dele é que vamos definir os procedimentos", disse Martins à reportagem, ao ser questionado sobre um pedido de habeas corpus ou de uma possível colaboração.
Eike não tem o ensino superior completo, por isso poderá ficar em um presídio comum.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia