Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 27 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h55.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Alterada em 27/01 às 19h56min

Cristãos evangélicos vão adorar minha escolha para a Suprema Corte, diz Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (27), que está na reta final do processo de aprovação de um nome que indicará para a Suprema Corte dos Estados Unidos. Em entrevista à Christian Broadcasting Network (CBN News), Trump disse que "acha que sabe" quem será o escolhido, mas não tem 100% de certeza. "Estamos verificando o nome", comentou. "Acho que os cristãos evangélicos vão adorar minha escolha e ele os representará de modo muito justo", afirmou Trump.
A emissora cristã divulgou alguns trechos da entrevista e veiculará a íntegra na madrugada desta sexta-feira (27). Nos excertos, Trump diz que todos os 20 nomes cotados por ele para a Suprema Corte são "pessoas fantásticas", mas que o nome favorito agora está sendo verificado cuidadosamente, para que possa ser aprovado posteriormente pelo Congresso.
Trump disse também que os refugiados cristãos serão uma prioridade em seu governo. "Eles têm sido tratados de maneira horrível", acredita o novo presidente dos EUA. "Se você é um cristão na Síria, é muito difícil entrar nos EUA. Se você é um muçulmano pode vir", afirmou, dizendo que pretende mudar isso.
O republicano também criticou a mídia. "A mídia é o partido da oposição de muitas maneiras", disse o empresário, para quem grande parcela da mídia age com "desonestidade". Ele citou o caso do jornal The New York Times na campanha. "Se você lê o New York Times diz que não há nenhuma chance de que eu fosse ganhar".
Trump falou, porém, que tem a sorte de ter "uma voz que as pessoas entendem", citando promessas como trazer empregos e investimento de volta. "A mídia é uma desgraça", afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia