Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 01 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h54.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

01/01/2017 - 12h51min. Alterada em 01/01 às 12h56min

Novo secretário-geral da ONU deve enfrentar dificuldades com governo de Trump

Guterres pediu que todas as pessoas do mundo coloquem "a paz em primeiro lugar"

Guterres pediu que todas as pessoas do mundo coloquem "a paz em primeiro lugar"


Jewel SAMAD/AFP/JC
O novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, tomou posse, neste domingo (1), pedindo que todas as pessoas do mundo coloquem "a paz em primeiro lugar" neste novo ano. Ele tomou as rédeas prometendo ser um "construtor de pontes", mas deve enfrentar dificuldades com o governo de Donald Trump nos Estados Unidos.
Em meados de dezembro, Guterres disse que envolverá todos os governos em sua administração "e, com certeza, também com o próximo governo dos Estados Unidos". Mas Trump tem mostrado pouco interesse no multilateralismo. Desta forma, além de Guterres começar seu mandato enfrentando conflitos na Síria, Sudão, crises globais do terrorismo e mudanças climáticas, o apoio dos EUA às Nações Unidas continua a ser um ponto de interrogação. Os EUA têm papel importante na ONU, já que contribuem com 22% do orçamento ordinário da organização.
Em seu Twitter, Trump criticou a ONU. Segundo ele, a organização "tem um grande potencial, mas agora é apenas um clube para pessoas se reunirem, conversarem e passarem momentos agradáveis. Muito triste!". Em outra publicação, ele chegou a dizer que a partir do dia 20 de janeiro, que é quando ele toma posse, as coisas serão diferentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia