Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de janeiro de 2017. Atualizado às 14h14.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

sistema carcerário

Alterada em 18/01 às 15h15min

Penitenciária em Bangu tem tumulto entre presos; Seap nega rebelião

Agência Brasil
A Penitenciária Esmeraldino Bandeira, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, teve um tumulto entre os presos na manhã de hoje (18). A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que não há rebelião. Segundo a Seap, houve uma briga entre seis internos e a situação foi controlada pela direção do presídio.
Para o presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema Penal do Rio de Janeiro, Gutembergue de Oliveira, a suspensão da visita de familiares aos presos em presídios do estado por causa da greve dos agentes penitenciários não foi o que causou a confusão. "A origem do problema é questão de convivência, essa relação conturbada de homens confinados, com superpopulação carcerária", disse.
"Eles [presos] se desentenderam, saíram no tapa. Poucos feridos, com lesões muito pequenas, uma meia dúzia [de feridos]. Teve uma intervenção rápida de um grupamento que nós temos que é especialista em controle de distúrbio nas unidades prisionais, o Grupamento de Intervenção Tática. E não precisou disparar um tiro de bala de borracha", acrescentou Oliveira.
Segundo a Seap, o Grupamento de Intervenção Tática foi acionado, mas não houve necessidade de incursão na unidade.
Mesmo com o anúncio de que o salário de dezembro de todos os servidores ativos e inativos da área de segurança pública do Rio de Janeiro será pago hoje, os sindicatos de policiais civis e de agentes penitenciários reforçaram a mobilização das categorias, que estão paralisadas.
O salário de dezembro é parte da dívida do governo do Rio com os profissionais, que ainda cobram o recebimento do décimo terceiro, das horas extras do segundo semestre de 2016 e de prêmios por cumprimento de metas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia