Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h36.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

Notícia da edição impressa de 06/01/2017. Alterada em 05/01 às 21h56min

Cettraliq termina remoção de efluentes após ser responsabilizada por contaminar água

A Central de Tratamento de Efluentes Líquidos (Cettraliq) concluiu, no início deste mês, a retirada e o transporte dos efluentes de sua planta em Porto Alegre. Isso porque, no dia 9 de dezembro, a 10ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, com a manifestação favorável do Departamento Municipal de Água e Esgotos e do Ministério Público, acolheu o pedido da empresa e aprovou o novo plano de remoção. Com a decisão, a empresa teve 50 dias para finalizar o processo.
O material foi destinado a uma estação em Joinville, em Santa Catarina. No processo, foram retirados os 2,6 mil metros cúbicos de efluentes. Um relatório está sendo finalizado e será apresentado após o recesso judicial, na semana que vem. A equipe segue os trabalhos de limpeza de equipamentos e instalações.
A Cettraliq teve as atividades suspensas em agosto pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental, uma vez que a descarga dos resíduos industriais da empresa foi apontada como a causa do mau cheiro e do gosto da água em Porto Alegre. A empresa, no entanto, acredita que essa justificativa é "completamente absurda", pois não há prova dessa suspeita e porque os odores na planta não se parecem com os percebidos na região.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia