Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de janeiro de 2017. Atualizado às 20h02.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

futebol

Alterada em 31/01 às 21h06min

Concessionária Maracanã repassa dívida de R$ 1,8 milhão para o Rio-2016

A Concessionária Maracanã solicitou à Light que transfira para o CNPJ do Comitê Rio-2016 as contas de energia elétricas vencidas, referentes aos meses de setembro e de outubro. De acordo com o consórcio, liderado pela Odebrecht, a dívida, de R$ 1,8 milhão, aparece atrelada ao CNPJ do Maracanã.
No comunicado, a concessionária reitera que só reassumiu o complexo em 18 de janeiro de 2017 e diz que vai cobrar "o consumo de energia das partidas oficiais e amistosas realizadas no complexo esportivo neste período dos responsáveis pela liberação do estádio para tais eventos".
Procurado pelo Estado, o Comitê Rio-2016 informou que reconhece a dívida de R$ 1,8 milhão com a Light, e informou que ainda não efetuou o pagamento justamente pelo fato de as faturas terem vindo no CNPJ da concessionária que administra o Maracanã.
Segundo o comitê, assim que a transferência for feita o valor será quitado. Ainda segundo a entidade, a relação entre Rio-2016 e Light é "extremamente amigável". A empresa de energia foi apoiadora dos Jogos do Rio-2016 e o acordo previa benefícios fiscais.
Quanto à dívida relativa às partidas realizadas no estádio, cujo valor não foi informado, o Rio-2016 se isentou. "A liberação do Maracanã foi autorizada pelo Governo do Estado", declarou o comitê.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia