Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 31/01 às 19h28min

Dólar fecha em alta após novos sinais do BC sobre swap

O dólar fechou em alta nesta terça-feira (31), após o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sinalizar que pode reduzir o seu estoque de swap cambial já a partir de março.
O dirigente lembrou que o montante total de swaps cambiais do BC foi reduzido de US$ 108 bilhões para US$ 26 bilhões, o que traz mais conforto para sua atuação. Mas isso não significa que o BC não possa "voltar a diminuir o tamanho do estoque de swaps cambiais no futuro, inclusive no próximo vencimento, quando vencerão quase US$ 7 bilhões de swaps". "Nós podemos rolar parcialmente se quisermos, ou rolar tudo ou não rolar nada. Depende das condições", disse Ilan em evento no final da manhã.
Na máxima, o dólar à vista marcou R$ 3,1569 (+0,99%) antes de fechar aos R$ 3,1501, em alta de 0,77%. De acordo com dados registrados na clearing da BM&FBovespa, o volume de negócios somou US$ 1,781 bilhão. No mês, a moeda acumulou perda de 3,14%.
Já o contrato futuro para março subiu até R$ 3,1790 (+0,89%) e encerrou a sessão cotado aos R$ 3,1700, em alta de 0,60%. O giro totalizou US$ 17,708 bilhões.
Contribuiu para o avanço, na avaliação de especialistas, a cautela com os desdobramentos da prisão do empresário Eike Batista, como uma possível delação premiada. Também há preocupação com vazamentos seletivos das confissões de executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato. "Por enquanto, é um sentimento de apreensão no mercado, mas quando as novidades começarem a vir o impacto vai ser maior", disse um diretor de uma corretora nacional.
Houve ainda a rolagem apenas parcial na tarde de hoje pelo Banco Central do vencimento de linha de dólar, com oferta de até US$ 1 bilhão, do total a vencer de US$ 1,8 bilhão em fevereiro.
Em grande parte da manhã, prevaleceram os interesses técnicos de fim de mês para formação da taxa Ptax, principalmente de investidores com posição "vendida" em dólar. Por isso, houve queda majoritária durante o período vespertino. A taxa Ptax fechou em queda de 0,15%, aos R$ 3,1270. Em janeiro, a Ptax acumulou perda de 4,05%.
Nas mínimas desta terça-feira, o dólar recuou até R$ 3,1027 (-0,75%) no mercado à vista, enquanto o contrato futuro de dólar para março caiu a R$ 3,1250 (-0,83%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia