Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 31/01 às 18h44min

Ouro fecha em alta em Nova Iorque e registra maior ganho mensal em 7 meses

O contrato futuro de ouro fechou em alta na sessão desta terça-feira (31), impulsionado por um dólar mais fraco e pelos decretos assinados pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O desempenho ajudou o metal a registrar o maior ganho mensal desde junho.
O contrato para fevereiro, negociado na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange, avançou 1,29%, a US$ 1.208,60 por onça-troy.
As preocupações de investidores quanto aos movimentos do novo governo americano prejudicaram o mercado acionário esta semana e fortaleceram o ouro devido a uma incerteza no mercado, de acordo com alguns analistas.
"Os decretos assinados por Trump são a principal razão por trás da performance do ouro em janeiro. Suas políticas sobre imigração fizeram com que muitos líderes mundiais ficassem indispostos com os EUA - o que poderia diminuir o investimento estrangeiro no país", disse Naeem Aslam, analista chefe de mercados da Think Markets.
Além disso, o dólar recuou ante os principais rivais nesta terça-feira, fazendo com que o metal ampliasse os ganhos durante a tarde. O ouro, que é cotado em dólar, costuma ficar mais forte quando a moeda americana recua, já que os preços do metal ficam mais baratos para investidores que operam em outras divisas. Dados americanos abaixo do esperado e comentários de Trump sobre o mercado de câmbio fizeram com que a moeda dos EUA perdesse força. Segundo o presidente americano0, a China e o Japão interferem no funcionamento do mercado e evitam que ele flutue livremente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia