Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 15h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Alterada em 30/01 às 16h37min

Com crise na indústria, salário médio do trabalhador cai pela 1ª vez, diz CNI

Um dos símbolos da crise que atingiu a indústria no ano passado não foi visto no balanço das empresas e atingiu o bolso dos trabalhadores do setor. Dados apresentados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) revelaram que o rendimento médio real dos empregados industriais teve queda de 1,2% em 2016 na comparação com o ano anterior. É a primeira vez na série histórica que esse indicador registrou queda.
Segundo a entidade, o rendimento médio real atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) caiu ininterruptamente nos três últimos meses de 2016 e acumulou queda de 4,3% na comparação trimestral.
"Mesmo com a grande indexação e os dissídios, esse indicador teve a primeira queda. Isso é fruto do mercado de trabalho bastante desaquecido. Então, algumas negociações de dissídio tiveram recomposição dos salários abaixo da inflação", disse o gerente-executivo de política econômica da CNI, Flávio Castelo Branco. "Isso mostra que, com o desemprego crescente, os trabalhadores estão dispostos a aceitar correção menores dos salários", completa.
Castelo Branco elogiou a indicação de reforma trabalhista do governo Michel Temer que pretende fazer com que o acordado entre categoria e empregador se sobreponha ao legislado. "Isso dará valorização à negociação e significa que você dá margem de manobra para que as partes acertem temas que vão além do salário, como jornada de trabalho ou o intervalo entre turnos", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia