Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 07h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsa de Tóquio fecha em baixa, mas feriados mantêm outras asiáticas fechadas

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta segunda-feira (30), interrompendo uma sequência de três pregões de ganhos, após o crescimento desanimador da economia dos EUA no último trimestre e um decreto do presidente americano, Donald Trump, para interromper o fluxo de imigrantes. Outros grandes mercados da Ásia, como os da China, não operaram devido a feriados locais.

O Nikkei caiu 0,51%, encerrando o dia a 19.368,85 pontos. Na semana passada, o índice que reúne as ações mais negociadas na capital do Japão havia acumulado valorização de 1,72%.

Na sexta-feira, foi divulgado que o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu a uma taxa anualizada de 1,9% no quarto trimestre de 2016, menor que a de 2,2% prevista por analistas e mostrando forte desaceleração ante a expansão de 3,5% dos três meses anteriores. No mesmo dia, Trump suspendeu o programa de refugiados da Casa Branca por quatro meses e proibiu a entrada nos EUA de cidadãos de vários países, incluindo Síria e Irã, por 90 dias.

Papéis do setor financeiro lideraram as perdas em Tóquio hoje, após a decepção com o PIB dos EUA pressionar os juros dos Treasuries. Sony Financial Holdings e T&D Holdings, por exemplo, recuaram 1,3% e 0,9%, respectivamente.

Em outros setores, as ações japonesas pouco oscilaram e não mostraram uma direção única, ainda em meio a expectativas de que Trump adote medidas de estímulo fiscal.

"(Trump) tem feito o que prometeu durante a campanha. Isso provavelmente significa que ele implementará cortes de impostos e projetos de infraestrutura e fará o que for necessário para impulsionar o crescimento econômico dos EUA para 4%", avaliou Mitsushige Akino, gestor-chefe de fundos da Ichiyoshi Asset Management.

Outro destaque negativo em Tóquio foi a Toshiba, que caiu 3,7%, após notícia de que bancos fiduciários estão se preparando para processar a fabricante de eletrônicos por danos. Em 2015, a Toshiba se envolveu num grande escândalo contábil.

Já o Banco do Japão (BoJ) inicia hoje reunião de política monetária de dois dias, mas não há expectativa de que a instituição tome novas medidas nesta terça-feira.

Em outras partes da Ásia, como China, Hong Kong, Taiwan, Coreia do Sul e Cingapura, as bolsas permaneceram fechadas nesta segunda, em razão de feriados. O chamado feriado do ano novo lunar, que teve início no fim de semana, vai manter os mercados chineses inativos até quinta-feira (2).

Na Oceania, as questões recentes dos EUA e uma queda nos preços do petróleo na última sexta-feira pesaram nos negócios da bolsa australiana. O índice S&P/ASX 200 recuou 0,9%, a 5.661,50 pontos, apagando a maior parte do ganho de 1,1% que havia exibido na semana passada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia