Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

26/01/2017 - 18h55min. Alterada em 26/01 às 19h12min

Conselho Monetário Nacional aprimora regras do cartão de crédito

As instituições financeiras terão até o dia 3 de abril de 2017 para adotar os ajustes operacionais necessários e implementar a respectiva medida

As instituições financeiras terão até o dia 3 de abril de 2017 para adotar os ajustes operacionais necessários e implementar a respectiva medida


Marco Quintana/JC
O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quinta-feira (26), a Resolução nº 4.549, que disciplina o financiamento do saldo devedor da fatura do cartão de crédito e dos demais instrumentos de pagamento pós-pagos.
A medida visa, conforme nota divulgada pelo Banco Central, tornar o uso do cartão de crédito mais eficiente e barato e, do lado das instituições reguladas, oferecer instrumentos para aprimorar o gerenciamento de risco de crédito.
A resolução estabelece que "o saldo devedor não liquidado integralmente no vencimento da fatura somente poderá ser objeto de financiamento na modalidade de crédito rotativo até o vencimento da fatura subsequente. No vencimento, se ainda houver saldo devedor relativo ao montante objeto de crédito rotativo, este poderá ser financiado mediante linha de crédito parcelado, a ser oferecida pela instituição financeira, em condições mais vantajosas ou liquidado integralmente pelo cliente".
A expectativa, conforme a nota do BC, é de que, "com a adequação do produto crédito rotativo, as instituições financeiras possam praticar taxas de juros nessa modalidade inferior às atualmente praticadas".
As instituições financeiras terão até o dia 3 de abril de 2017 para adotar os ajustes operacionais necessários e implementar a respectiva medida.
O CMN também aprovou resolução que amplia o prazo limite para que as instituições financeiras se adequem às novas condições do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) estabelecidas em novembro de 2016 com a resolução 4.537.
Segundo o CMN, "em função da abrangência e da complexidade associadas às mudanças operacionais", operações de financiamento habitacional no SFH aprovadas pelos agentes financeiros até 30 de junho de 2017 podem ser finalizadas até 31 de agosto seguindo as condições vigentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
valdir kestering 27/12/2017 14h59min
desejo saber sobre o decreto 22626, de 1933, onde fixa taxa de juros em 1% ao mês ou 12% ao ano, se foi revogado ou continua em vigor