Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Empresas

Alterada em 25/01 às 18h43min

CPFL Piratininga e RGE aprovam emissão de debêntures no total de R$ 686 mi

Os conselhos de administração de duas empresas do Grupo CPFL aprovaram, nesta quarta-feira (25), emissões de debêntures. A CPFL Piratininga aprovou a captação de R$ 306 milhões, enquanto a operação da Rio Grande Energia (RGE) soma R$ 380 milhões. As duas operações contam com garantia fornecida pela CPFL Energia, na forma de fiança.
As duas ofertas serão públicas com esforços restritos, e serão divididas em duas séries. No caso da Rio Grande Energia, a primeira série será de R$ 130 milhões, e a segunda de R$ 250 milhões. Na operação da Piratininga, a primeira série será de R$ 60 milhões, e a segunda de R$ 246 milhões. As duas companhias estabeleceram também prazos iguais, de sete anos para a primeira série, e de cinco anos para a segunda, com vencimentos em 15 de fevereiro de 2024 e 15 de fevereiro de 2022, respectivamente. O valor unitário das debêntures será de R$ 1.000.
A remuneração oferecida aos compradores dos títulos será definida em procedimento de bookbuilding. Nas primeiras séries de cada emissão, o remuneração será limitada à taxa de retorno oferecida pelos títulos públicos referenciados no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) com vencimento em 2024, subtraída de 0,05% ao ano. Já a segunda série de ambas as emissões terá taxa limitada a 111,25% da variação média diária dos Depósitos Interfinanceiros (DI). Os títulos terão seus valores atualizados pelo IPCA.
Os pagamentos serão realizados semestralmente no dia 15 de cada mês, com o primeiro pagamento marcado para 15 de agosto deste ano. Já a amortização do valor principal será feita em duas parcelas. Na primeira série de cada operação, a primeira será paga em 15 de fevereiro de 2023, e o restante um ano depois, na data de vencimento. No caso da segunda série, a primeira parcela será paga em 15 de fevereiro de 2021, e a segunda no vencimento, em 15 de fevereiro de 2022.
As duas empresas vão destinar recursos para investimentos em subestações e linhas de transmissão, além do pagamento futuro de gastos, despesas e dívidas relacionados a projetos de investimentos. A CPFL Piratininga atua no Estado de São Paulo, enquanto a RGE atua no Rio Grande do Sul.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia