Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 15h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consórcio

Notícia da edição impressa de 30/01/2017. Alterada em 29/01 às 22h37min

Racon quer crescer em cidades de médio porte

Tíquete médio cresce até 15% ao ano, afirma Queiroz

Tíquete médio cresce até 15% ao ano, afirma Queiroz


CLAITON DORNELLES/JC
Braço da Randon Consórcios, que em 2017 completa 30 anos, a Racon está reposicionando seu mercado e ampliando a rede. Responsável pelas áreas de imóveis e veículos, a empresa tem como meta ampliar a presença em cidades de médio porte no Rio Grande do Sul. Também planeja expandir em 20% as unidades de atendimento franqueadas em São Paulo, onde a Racon conta hoje com 51 pontos de venda, de acordo com Carlos Queiroz, diretor administrativo e financeiro da Racon em Porto Alegre. Sobre os negócios no Rio Grande do Sul, Queiroz comenta que, apesar da crise, a empresa conseguiu atingir as metras.
"Estamos inclusive conseguindo ampliar o valor do tíquete médio, que hoje é em torno de R$ 170 mil para o caso dos imóveis. Esse valor tem crescimento um média de 10% a 15% ao ano. Isso porque as compras têm sido mais para moradia do que investimento. E, na hora de investir para morar, o imóvel tende a ser algo melhor", explica o executivo.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia