Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/01 às 20h12min

Nos EUA, Dólar recua após comentários de Trump de que moeda estaria 'muito forte'

O dólar apresentou uma forte queda ante os principais rivais na sessão desta terça-feira, 17, pressionado por comentários do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que descreveu a moeda americana como "muito forte" em uma entrevista ao Wall Street Journal. A fala do bilionário lançou uma nova incerteza no rali do dólar, que começou após as eleições presidenciais dos EUA, em novembro.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía de 114,60 ienes no fim da tarde de ontem para 112,71 ienes; o euro subia de US$ 1,0644 para US$ 1,0707; e a libra avançava de US$ 1,2185 para US$ 1,2401.
Na entrevista, Trump afirmou que o dólar americano estava "demasiado forte" e culpou a China, por controlar a sua moeda, o yuan. "Nossas empresas não podem competir com as chinesas porque a nossa moeda é muito forte e isso está nos matando", afirmou o presidente eleito.
Trump também criticou uma proposta dos congressistas do Partido Republicano de elevarem tarifas de importação e isentarem exportações, afirmando que o projeto é muito complicado.
Os comentários estão fazendo com que alguns investidores repensem suas expectativas de que o governo Trump irá implementar rapidamente estímulos fiscais e os planos de uma reforma tributária. "O mercado espera que essas políticas entrem em vigor em algum momento, mas se virão ou não nos próximos três ou 12 meses é a questão", disse Brian Daingerfield, estrategista da RBS Securities.
A expectativa do mercado é de que Trump dê mais detalhes sobre sua política econômica durante o discurso de posse, na próxima sexta-feira. "Qualquer indicação sobre reforma tributária ou gastos com infraestrutura vai ser vista como um ponto positivo para o dólar", disse Daingerfield.
No Reino Unido, a libra esterlina avançou em relação ao dólar após o discurso da premiê britânica, Theresa May. Durante sua fala, May admitiu que o Reino Unido deixaria o mercado único da União Europeia, mas disse que pretende fazer um acordo de livre comércio de bens e serviços com a UE.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia