Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

VAREJO

16/01/2017 - 14h30min. Alterada em 30/01 às 14h51min

Preços na Feira de Material Escolar em Porto Alegre chegarão a 30% abaixo do mercado

Montagem da Feira iniciou nesta manhã na Praça da Alfandega no Centro Historico

Montagem da Feira iniciou nesta manhã na Praça da Alfandega no Centro Historico


PC Flores /divulgação/PMPA
A prefeitura de Porto Alegre, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, iniciou nesta segunda-feira (16) a montagem da Feira do Material Escolar, que será realizada de 25 de janeiro a 4 de março na praça da Alfândega, no Centro Histórico da Capital.
O espaço que está sendo montado no centro da cidade vai oferecer artigos escolares com preços mais baixos, incluindo 'cestas básicas', com itens que atendem aos ensinos fundamental e médio. A estimativa da prefeitura é de que os preços das cestas sejam 30% menores do que os encontrados no mercado.
“É uma iniciativa importante e uma alternativa econômica real para as famílias e que deve ser apoiada e ampliada”, ressaltou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Gomes. No ano passado, a feira recebeu mais de 140 mil visitantes, com 2.720 cestas básicas vendidas.
A feira funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h às 19 horas, e sábados, das 9h às 18 horas. O preço das cestas básicas será de R$ 14,40, nas seguintes condições de pagamento: quatro vezes sem juros, nas compras acima de R$ 150 (cartões Credicard, Mastercard, Visa, Hipercard, e Banricompras).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia