Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 13 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 13/01 às 17h11min

Juros fecham com viés de alta em dia de ajuste à forte queda de quinta-feira

Os juros futuros encerraram a sessão regular desta sexta-feira (13) com viés de alta e perto das taxas observadas ontem no fim da sessão estendida. Em um dia de falta de notícias de impacto para a renda fixa, as taxas dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) não registraram oscilações bruscas.
"Ao contrário de ontem, hoje não tem um 'driver' forte", afirmou a gestora de renda fixa da Mongeral Aegon Investimentos, Patrícia Pereira. "Hoje é um dia em que estão sendo feitos ajustes pequenos nas taxas dos DIs depois do recuo forte de ontem", completou.
O operador de renda fixa da Quantitas Asset, Matheus Gallina, concordou. "Hoje o mercado se ajusta um pouco. Porque, apesar da correção grande da curva ontem, o equilíbrio não foi alcançado", disse o profissional.
Gallina acrescenta que trouxe alguma influência na parte mais longa da curva a alta dos rendimentos dos Treasuries. Os retornos dos títulos americanos de diferentes vencimentos foi favorecido hoje pelos dados de vendas no varejo e de inflação no atacado nos EUA, divulgados mais cedo. Somados esses dois fatores - correção da curva de juros doméstica e influência das T-Notes -, a taxa do DI para janeiro de 2021, que tinha viés de baixa mais cedo, passou a exibir viés de alta a partir do meio da tarde, notou Gallina.
No fim da sessão regular, o DI para janeiro de 2018 marcou 11,06%, máxima, ante 11,00% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2019 fechou a 10,53% ante 10,47%. E o DI para janeiro de 2021 fechou a 10,80% ante 10,77% no ajuste de ontem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia