Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de janeiro de 2017. Atualizado às 13h11.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria Automotiva

Alterada em 09/01 às 14h13min

Filial brasileira da Volkswagen apresenta o pior desempenho pelo 2º ano seguido

Pelo segundo ano consecutivo o Brasil aparece como o país que teve a maior queda nas vendas de veículos leves da Volkswagen no mundo. O número de unidades vendidas no mercado brasileiro caiu 35% em 2016, para 218,2 mil, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, 9, pela empresa, que destaca os resultados por continente e dos principais países em cada região. Em 2015 o recuo foi de 38%.
A Volkswagen já havia dado explicações a seus investidores sobre o fraco desempenho no Brasil. No balanço global da montadora publicado no fim de outubro, em referência ao terceiro trimestre de 2016, a empresa atribui os resultados negativos a uma combinação de fatores conjunturais. "O aumento do desemprego, a queda real na renda e políticas restritivas de crédito nos levaram aos menores volumes desde 2006".
A empresa tem sido desde 2014 a montadora que mais perde mercado no Brasil. A fatia da marca, que era de 18,6% em 2013, caiu para 14,5% em 2015 e para 11,6% em 2016. Um dos motivos para isso foi o declínio do Gol no gosto do consumidor brasileiro. O carro, que era líder de vendas entre automóveis em 2013, caiu para a quarta posição no ano passado.
Além da baixa demanda por veículos, a montadora também enfrentou em 2016 uma suspensão de sua produção, nos meses de agosto e setembro, em razão da interrupção de fornecimento de peças, o que prejudicou o abastecimento do mercado pela empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia