Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 09/01/2017. Alterada em 08/01 às 22h26min

Estado encerra a semeadura do arroz superando a expectativa

Safra gaúcha deve ficar entre 8,3 milhões e 8,4 milhões de toneladas

Safra gaúcha deve ficar entre 8,3 milhões e 8,4 milhões de toneladas


SARA KIRCHHOF/IRGA/DIVULGAÇÃO/JC
Depois de quatro meses de trabalho, está tecnicamente encerrada a semeadura do arroz no Rio Grande do Sul, de acordo com o relatório de acompanhamento da safra elaborado pela Política Setorial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). Apesar das fortes chuvas ocorridas durante o período de cultivo, chegando a 400 milímetros na região Central, o Estado conseguiu semear a área projetada e ainda apresentou um pequeno acréscimo, atingindo 100,7% da estimativa inicial.
A Fronteira-Oeste foi uma das regiões que superaram a expectativa, semeou 100,10%. A Campanha chegou a 102,37%; a região Central quase atingiu a meta, alcançando os 99,6%. Já a Planície Costeira Interna semeou 100,12% da intenção inicial e a Planície Costeira Externa, 100,69%. Quem conseguiu ir mais longe foi a zona Sul do Estado, que semeou 101,6% do projetado, a pequena elevação representa 916 hectares a mais de cultivo naquela região. Com tudo isso, o Rio Grande do Sul concluiu os trabalhos com 1.099.098 hectares cultivados - a projeção inicial era de 1.091.401 he.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia