Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Atualizado às 10h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

04/01/2017 - 11h11min. Alterada em 04/01 às 11h11min

Depois de abrir em queda, Bovespa passa a subir

O Ibovespa virou e passou a exibir uma leve alta nesta quarta-feira (4), depois de abrir e permanecer mais de meia hora em queda. A virada coincidiu com a valorização das ações da Petrobras, a qual sucedeu a reaceleração da alta dos preços do petróleo na Nymex e na ICE.
Às 10h41min, o Ibovespa subia 0,05% aos 61.846,07 pontos. A ON da petroleira ganhava 0,68% e marcava R$ 17,70 e a PN superava os R$ 15 ao subir 1,03%. Persistem as especulações sobre um possível aumento no preço da gasolina e do diesel. A petroleira ainda não se manifestou.
A maioria das outras blue chips está em queda. As ações da Vale, que fecharam em alta perto de 5% terça, recuam mais fortemente (-1,53% ON e -1,62% PNA) nesta quarta-feira em que o minério de ferro fechou praticamente estável (-0,03%), após a queda de terça (-2,4%).
Como a alta do Ibovespa ainda é pequena, não é de descartar uma nova alternância de sinal no indicador. Na avaliação do analista da Clear Corretora Raphael Figueredo, o mercado pode viver um pouco da ressaca da forte alta de terça. "É um comportamento comum quando o Ibovespa sobe mais de 3%", afirmou.
"Acredito que investidores vão ficar à espreita aguardando a ata do Fomc e também novidades sobre as especulações quanto a uma elevação do preço da gasolina pela Petrobras", disse Figueredo. A ata do Fomc será divulgada às 17 horas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia