Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Atualizado às 09h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Cobre avança em meio a um dólar mais fraco e fortalecimento das ações asiáticas

Os preços do cobre operam em alta nesta quarta-feira (4) diante do fortalecimento das ações asiáticas e enfraquecimento do dólar norte-americano.

O preço do cobre de três meses da London Metal Exchange (LME) subia 1,0% no comércio europeu no meio da manhã, a US$ 5.536,50 por tonelada métrica, maior nível em duas semanas. Às 10h19min (de Brasília), o cobre para entrega em março avançava 0,74%, a US$ 2,5075 por libra-peso, na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex).

A sessão anterior também teve uma abertura similarmente forte antes dos metais virarem por causa do dólar mais forte, uma vez que são cotados na moeda dos EUA.

"Os metais estão recuperando algumas de suas perdas esta manhã, encontrando o apoio nos mercados de ações predominantemente firmes da Ásia", escreveu o Commerzbank em nota. O índice Nikkei da Bolsa de Japão subiu 2,5%, com a maioria dos outros mercados asiáticos em território positivo.

Enquanto isso, o governo da China concedeu o orçamento estatal de 800 bilhões de yuans (US$ 115,1 bilhões) para apoiar seu programa de investimentos, o mesmo nível do ano passado, informou a agência de notícias Xinhua. Os detalhes da despesa de infraestrutura da China são acompanhados de perto, pois os investidores procuram prever a força da demanda do principal consumidor mundial de metais industriais.

Entre outros metais básicos, o alumínio subia 1,5%, a US$ 1.688,50 a tonelada, o chumbo avançava 2,4%, a US$ 2.053 por tonelada, o zinco valorizava 0,5%, a US$ 2.560 por tonelada e o estanho subia 0,3% a US$ 21.050 a tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia