Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de janeiro de 2017. Atualizado às 14h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 02/01 às 16h01min

Bolsas da Europa sobem impulsionadas por PMIs da indústria e setor financeiro

As bolsas europeias fecharam em alta no primeiro pregão de 2017, em meio a uma sessão marcada pela baixa liquidez. Dados da indústria na Alemanha e na zona do euro impulsionaram os mercados europeus, além de notícias relacionadas ao Deutsche Bank e ao Monte dei Paschi, que foram consideradas positivas pelos investidores e fizeram com que ações de empresas ligadas ao setor financeiro operassem no azul. Em Londres, o índice FTSE-100 não operou devido ao feriado de ano-novo.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,49% (+1,76 ponto), aos 363,18 pontos. Ações ligadas ao setor financeiro apoiaram os mercados em geral nesta segunda-feira, 2.
Os índices acionários europeus começaram o dia no vermelho, mas logo reverteram as perdas com indicadores econômicos que mostraram que a economia na zona do euro terminou 2016 em alta. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da Alemanha subiu de 54,3 em novembro para 55,6 em dezembro, maior nível em 35 meses. Já o PMI do setor industrial da zona do euro avançou de 53,7 em novembro para 54,9 em dezembro, no maior nível desde abril de 2011, segundo dados da Markit Economics.
O setor financeiro impulsionou os mercados europeus na sessão de hoje. Em Frankfurt, o índice DAX terminou em alta de 1,02%, aos 11.598,33 pontos com ações de bancos entre as mais negociadas do dia. O Commerzbank subiu 3,51% e o Deutsche Bank avançou 1,71%. Hoje, o presidente do Deutsche Bank, Paul Achleitner, informou ao jornal alemão Allgemeine Sonntagszeitung que nenhuma fusão europeia ou plano de resgate estatal para o banco estão nos planos da instituição. A notícia foi divulgada após o Deutsche Bank ter anunciado um acordo com o Departamento de Justiça dos EUA para pagar uma multa de US$ 7,2 bilhões relacionada a uma venda de títulos hipotecários.
Em Milão, o setor financeiro também influenciou o índice FTSE-MIB, que fechou em alta de 1,73%, aos 19.566,53 pontos. O Monte dei Paschi continua no centro das atenções, com os investidores atentos a notícias do banco. Na semana passada, a Comissão Europeia concedeu um prazo de seis meses para que o governo da Itália renove seu sistema bancário. Antes, o Monte dei Paschi buscava obter recursos para a sua recapitalização, mas não obteve sucesso; agora, o banco mais antigo em funcionamento do país será socorrido pelo governo, com dinheiro dos contribuintes - o que não é bem visto pelo bloco europeu. Hoje, o Unicredit ganhou 2,56%, Intesa Sanpaolo avançou 0,91% e a Unione di Banche Italiane subiu 4,90%.
Em Paris, o índice CAC-40 ganhou 0,41%, aos 4.882,38 pontos, apoiado no setor automobilístico. Nesta segunda-feira, a Peugeot subiu 1,03% e a Renault avançou 0,70% após dados mostrarem que as vendas de carros novos subiram 5,8% em dezembro no país.
Na bolsa de Madri, o Ibex-35 subiu 0,71%, para 9.418,70 pontos. O Santander ganhou 0,63% e o Banco Popular Español teve alta de 3,27%. Já em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 1,17%, para 4.734,06 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia