Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h15.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 31/01/2017. Alterada em 30/01 às 22h16min

Ele deixou um baú de dinheiro, mas esqueceu de deixar a chave!

Daniel Moro Valente
Trabalho com sucessão e proteção familiar há muitos anos, e há algumas semanas atrás ouvi a seguinte frase de uma senhora que perdeu o marido: "Ele deixou um baú de dinheiro, mas não deixou a chave". O que ela quis dizer com "a chave do baú"?
Quando uma pessoa morre, a transmissão do patrimônio para a família custa caro, ficando em torno de 10% a 15% do valor total do patrimônio, ou até mais nos casos nos quais existe discussão, herdeiros incapazes ou menores de idade. Ou seja, em uma conta simples, para cada R$ 1 milhão de patrimônio, os herdeiros vão pagar R$ 150 mil de impostos de transmissão, taxas e advogado para acessar os bens que têm direito. São muitos os casos em que a família tem dinheiro, mas o valor fica preso no próprio processo de inventário. Então os problemas começam.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia