Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h52.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Reestruturação do Estado

Notícia da edição impressa de 06/12/2016. Alterada em 05/12 às 22h42min

Governador José Ivo Sartori busca apoio dos prefeitos ao pacote

Sartori justificou medidas de austeridade em reunião com Famurs

Sartori justificou medidas de austeridade em reunião com Famurs


Luiz Chaves/Palácio Piratini/JC/
Bruna Suptitz
A pedido do governador José Ivo Sartori (PMDB), cerca de 100 prefeitos de todo o Estado, entre estes alguns dos eleitos para o próximo mandato, participaram ontem de uma reunião com ele e parte do secretariado, onde foi apresentado o pacote de medidas enviado pelo governo à Assembleia Legislativa no final de novembro. No encontro, que ocorreu a portas fechadas no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, na manhã de ontem, os gestores puderam questionar o impacto que os projetos terão nos municípios caso aprovados.
"O Estado está numa situação terrível e está se buscando mudar essa realidade, e os gestores têm que fazer a mesma leitura", avaliou o presidente da Federação das Associações dos Municípios (Famurs) e prefeito de Arroio do Sal, Luciano Pinto (PDT), que falou com a imprensa na saída da reunião.
Pinto já se manifestou favorável à aprovação do pacote e corrobora a decisão de que o seu partido aguarde a votação das medidas antes de definir se permanece ou não na base do governo. "Esse é o momento de firmar compromisso com o Estado", afirmou, defendendo a espera como sinônimo de coerência por parte do partido.
O líder do governo na Assembleia, deputado Gabriel Souza (PMDB), que também participou da reunião, considera fundamental o apoio dos prefeitos para pressionar os demais parlamentares e "contaminar positivamente a Assembleia Legislativa da importância de aprovação das medidas, sob pena de a crise se agravar, atingindo não só o Estado, mas também o conjunto de municípios".
Mesmo sem consenso entre os prefeitos, a tendência é que a Famurs se manifeste em relação ao pacote. Nesta semana, os gestores que participam da diretoria da entidade devem se reunir para definir que modelo será adotado para consulta dos pares.
Reunidos em frente ao Palácio Piratini, onde ocorreu o encontro, servidores vinculados aos órgãos ameaçados de extinção ou privatização pelo pacote do governo buscaram chamar atenção dos prefeitos que participavam do encontro. "Vamos tentar mostrar que as cidades vão perder serviços básicos, como as análises químicas, os indicadores econômicos, o patrimônio gaúcho. Vamos pedir apoio para fazer pressão aos deputados", informou Regina Abrahão, diretora do Semapi/Sindicato.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia