Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de dezembro de 2016. Atualizado às 16h30.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Alemanha

Alterada em 20/12 às 17h33min

Suspeito de dirigir caminhão que atacou feira em Berlim é liberado

O suspeito de ter dirigido um caminhão em direção a uma feira de Natal em Berlim ontem foi liberado por falta de provas, segundo a procuradoria-geral da Alemanha. O homem, um paquistanês que pediu asilo no país, foi detido logo após o ocorrido depois que uma testemunha disse que ele lembrava o motorista. O homem negou ter participado do crime e nenhum teste forense conseguiu ligá-lo ao ataque. As autoridades continuam investigando o caso.
A capital alemã está em alerta desde ontem, quando a feira de Natal nos arredores da igreja memorial Kaiser Wilhelm foi invadida por um caminhão por volta das 20h (horário local). O episódio deixou 12 mortos e 48 feridos e as autoridades alemãs estão investigando o caso como um ataque terrorista.
Especula-se que o caminhão teria sido roubado e o motorista original do veículo levado um tiro e morrido no local, mas as autoridades ainda não têm confirmação. "Ainda não conseguimos confirmar que essa pessoa era, de fato, o motorista. É possível que tenhamos um criminoso perigoso na região", afirmou o chefe de polícia de Berlim, Klaus Kandt.
A chanceler Angela Merkel visitou o local na tarde desta terça-feira e pediu que os alemães não se rendam ao medo. "Não queremos viver paralisados pelo medo do mal", disse Merkel. As feiras de Natal de Berlim, consideradas grandes atrações turísticas, vão ficar fechadas nesta terça-feira, em respeito às vítimas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia