Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de dezembro de 2016. Atualizado às 00h50.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Crise diplomática

Notícia da edição impressa de 20/12/2016. Alterada em 19/12 às 20h27min

Embaixador russo é assassinado na Turquia

Andrei Karlov discursava durante uma exposição patrocinada por Moscou quando sofreu o atentado

Andrei Karlov discursava durante uma exposição patrocinada por Moscou quando sofreu o atentado


SOZCU DAILY /SOZCU DAILY/YAVUZ ALATAN/AFP/JC
O embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, morreu após ser baleado por um atirador em uma galeria de arte em Ancara ontem. Segundo a mídia turca, ao menos três pessoas ficaram feridas além do diplomata.
Karlov fazia um discurso quando um homem usando terno e gravata gritou “Allahu Akbar” (“Deus é grande”, em árabe) e disparou vários tiros. O atirador também teria dito em turco “não se esqueçam de Aleppo! Não se esqueçam da Síria! Só a morte me tirará daqui! Todos que tomaram parte nesta opressão pagarão algum dia”, enquanto agitava a pistola no ar. O homem foi identificado como Mevlut Mert Altintas, um policial de 22 anos que estava de folga. Ele teria se aproximado de Karlov enquanto este estava caído no chão e atirado mais uma vez a uma distância curta.
Nenhuma organização assumiu a autoria do atentado. A RIA, agência de notícias estatal russa, informou que a segurança ao redor da embaixada da Rússia em Ancara foi reforçada após o incidente.
Os governos de Moscou e Ancara têm um histórico de atritos diplomáticos. A Turquia é membro da Otan (aliança militar ocidental) e apoia grupos rebeldes que lutam na vizinha Síria para derrubar o presidente Bashar al-Assad, cujo principal aliado é a Rússia. Em novembro do ano passado, a Força Aérea turca abateu um jato de guerra russo que teria violado o espaço aéreo do país enquanto participava de uma operação na Síria - Moscou nega a invasão. À época, o presidente russo, Vladimir Putin, classificou a ação como uma “facada nas costas”.
Após a morte do embaixador, o prefeito de Ancara disse que o atentado visou prejudicar as relações entre a Turquia e a Rússia. Nos últimos meses, os dois países vêm buscando normalizar suas relações. Em outubro, eles firmaram um acordo que prevê a cooperação na construção de um gasoduto submarino.
O embaixador discursava durante uma exposição de fotos patrocinada pela embaixada em Ancara quando foi alvejado. Segundo a agência de notícias estatal russa Tass, Moscou classificou o assassinato como atentado terrorista e pediu que a Turquia faça uma investigação minuciosa do caso. Segundo a emissora turca NTV, o homem foi morto pela polícia.
Karlov tinha 62 anos e juntou-se ao serviço diplomático em 1976. Ele foi embaixador da Rússia em Pyongyang de 2001 a 2006 e depois trabalhou como chefe do departamento consular do Ministério das Relações Exteriores. Em 2013, Karlov assumiu a embaixada da Rússia na Turquia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia