Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de dezembro de 2016. Atualizado às 11h40.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

14/12/2016 - 12h42min. Alterada em 14/12 às 12h42min

Venezuela fecha fronteiras com o Brasil e a Colômbia por 72 horas

Agência Brasil
Por determinação do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, a fronteira da Venezuela com o Brasil que fica entre as cidades de Santa Elena de Uairén, cidade venezuelana e Pacaraima, nordeste do estado de Roraima, está fechada desde a 0h de terça-feira (13) por 72 horas.
Nicolás Maduro alegou que o decreto determinando o fechamento da fronteira é para combater as máfias que estão contrabandeando a moeda nacional. O presidente determinou, também, o fechamento da fronteira da Venezuela com a Colômbia pelo mesmo período.
Em nota, o Itamaraty informou que a Embaixada do Brasil em Caracas, recebeu uma Nota Verbal do ministério das Relações Exteriores da Venezuela informando sobre a decisão de fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela por 72 horas. Na Nota, a chancelaria venezuelana explica que a decisão se deve "à extração ilícita de notas da moeda venezuelana", uma questão relacionada aos aspectos internos do país vizinho, a qual não nos cabe comentar."
A Agência Brasil entrou em contato com o consulado da Venezuela em Roraima, mas ainda não obteve resposta.
Na última sexta-feira (9) a Polícia Federal começou a deportar 450 venezuelanos em situação irregular no Brasil. Na terça-feira (13), a Justiça Federal ,em Roraima, suspendeu a deportação de venezuelanos. A Defensora Pública Roberta Alvin, autora do habeas corpus, disse que "a Defensoria Pública acredita que este tipo de procedimento, uma deportação em massa, não respeita a ampla defesa e o contraditório dessas pessoas."
O governo brasileiro havia decretado situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional nos municípios de Pacaraima e Boa Vista devido ao grande fluxo de venezuelanos. A forte crise política e econômica da Venezuela gerou a imigração de cerca de 30 mil venezuelanos para o Brasil, nos últimos dois anos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia