Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de dezembro de 2016. Atualizado às 20h40.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

seleção brasileira

Alterada em 18/12 às 21h40min

Brasil bate a Itália e leva torneio de futebol feminino na despedida de Formiga

Foi o sétimo título da Seleção em oito edições do Torneio Internacional de Futebol Feminino

Foi o sétimo título da Seleção em oito edições do Torneio Internacional de Futebol Feminino


Lucas Figueiredo/CBF/JC
Na despedida da volante Formiga, uma das maiores jogadoras da história da seleção brasileira - participou de seis Copas do Mundo e seis Olimpíadas -, o Brasil se tornou heptacampeão do Torneio Internacional de Futebol Feminino ao vencer a Itália por 5 a 3, em partida realizada na Arena Amazônia, em Manaus, neste domingo. A competição marcou também o início do trabalho da técnica Emily Lima, que substituiu Osvaldo Alvarez, o Vadão.
O Brasil confirmou a sua hegemonia no Torneio Internacional - são seis títulos seguidos e sete no total. O único vice-campeonato aconteceu em 2010, quando empatou com o Canadá por 2 a 2 na final. A equipe canadense jogava pelo empate por ter uma melhor campanha na primeira fase. Nesta edição, o Brasil venceu seus quatro duelos - três na fase de classificação e outro na final.
Ao final do jogo, Formiga, aos 38 anos, foi homenageada por seus 22 anos de serviços à seleção brasileira. É recordista em esportes coletivos com 160 jogos, tanto no masculino como feminino. A volante ainda pretende jogar em clubes, mas no momento está sem opção. "É a hora de dar espaço para as novatas que estão vindo ai. Chegou minha hora. Eu já não tenho força para aguentar um ritmo forte de treinamentos e jogos", revelou a atleta, em lágrimas.
Ela foi substituída aos 45 minutos do segundo tempo, sob abraços das companheiras e aplausos dos torcedores. Em seu lugar entrou Fran.
A Itália até deu mostras de que poderia engrossar para cima do Brasil, que confirmaria o título mesmo com um empate, já que ficou na primeira colocação na fase de grupos com 100% de aproveitamento, vencendo, inclusive, a equipe europeia pelo placar de 3 a 1, na terceira rodada.
Sem nomes como Marta e Cristiane, a seleção contou com o talento de Bia para sair do primeiro tempo com a vitória parcial. A atacante abriu o placar aos oito minutos. Thaisa tentou, a bola sobrou para Bia, que cortou a adversária e chutou para o fundo das redes.
O empate saiu aos 14 minutos. Ilaria Mauro arriscou de longe e mandou no ângulo de Bárbara. O Brasil não se abateu e se colocou na frente aos 20. Bia colocou Gabi na cara da goleira Schroffnegger. A camisa 19 só tocou para o gol. Gabbiardini, após cruzamento de Gama, fez o segundo da Itália. Antes do apito final, deu tempo da seleção brasileira fazer o terceiro. Aos 36, Andressinha cobrou falta com perfeição, sem chances para Schroffnegger.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia