Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h10.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Mundial de Clubes

Notícia da edição impressa de 19/12/2016. Alterada em 18/12 às 21h45min

Real Madrid sofre, mas fica com o título

Equipe sagrou-se campeã pela quinta vez, tornando-se a maior vencedora do torneio

Equipe sagrou-se campeã pela quinta vez, tornando-se a maior vencedora do torneio


AFP/JC
Foram três gols de Cristiano Ronaldo e vitória do Real Madrid com folga no placar. Pareceu fácil, mas o time espanhol sofreu para faturar o título do Mundial de Clubes da Fifa. Jogando em Yokohama, no Japão, o time espanhol precisou da prorrogação para superar o anfitrião Kashima Antlers por 4 a 2. Foi somente no tempo extra que o clube favorito deslanchou em campo e Cristiano Ronaldo marcou duas vezes. No tempo normal, balançou as redes somente em cobrança de pênalti, com placar de 2 a 2.
Ontem, o Real chegou a flertar com a “zebra”, que seria a maior da história do Mundial. O time espanhol saiu na frente, com gol logo aos oito minutos de jogo, com Benzema, porém levou uma surpreendente virada, com gols de Shibasaki, aos 43, e aos seis da etapa final. A equipe madrilena buscou o empate aos 14 minutos, com Cristiano Ronaldo, de pênalti. Em algumas oportunidades, o time do melhor jogador do mundo esteve perto de sofrer o terceiro gol dos japoneses. A situação só se acalmou para a torcida merengue na prorrogação, quando o craque português brilhou.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia