Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de dezembro de 2016. Atualizado às 23h36.

Jornal do Comércio

Perspectivas 2017

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol

Notícia da edição impressa de 23/12/2016. Alterada em 22/12 às 23h32min

Juventude quer seguir trilhando o caminho rumo à elite

Hoje com 4,2 mil sócios, clube caxiense tem o objetivo de atingir 6 mil em 2017

Hoje com 4,2 mil sócios, clube tem o objetivo de atingir 6 mil em 2017


LUCAS ERBES /AGÊNCIA FREELANCER/JC
Deivison Ávila
O Juventude já está com o orçamento e o planejamento fechados para 2017. O retorno do clube de Caxias do Sul à Série B do Campeonato Brasileiro após sete anos trouxe novamente o torcedor ao estádio Alfredo Jaconi e aumentou o número de associados. Hoje, o Ju conta com 4,2 mil sócios em dia, e o objetivo da direção é alcançar os 6 mil em 2017, o que já está sendo trabalhado pelo departamento de marketing.
O presidente Roberto Tonietto afirma que o acesso à segunda divisão permitirá um investimento maior em reforços para o elenco. "A disputa da Série B é bem mais difícil do que uma Série C. Precisamos qualificar o time", ressalta. Em relação aos aspectos administrativos, o dirigente promete dar sequência no projeto de reestruturação do clube, sempre procurando o equilíbrio financeiro. A missão é permanecer na segundona, mas caso o clube cresça ao longo da competição, vai buscar o acesso à Série A, divisão em que a equipe caxiense permaneceu por 13 anos consecutivos antes de ser rebaixada. Nos anos que se seguiram, o Juventude sofreu um declínio vertiginoso, acumulando um rebaixamento atrás do outro e chegando à Série D. Por isso, o retorno à B é tão celebrado.
Tonietto avisa, porém, que não fará loucuras para reforçar o grupo. "Dentro do orçamento, temos um valor destinado ao futebol, e o departamento tem que trabalhar com essas cifras. O pessoal do futebol preferiu economizar um pouco no primeiro semestre, no Campeonato Gaúcho, para poder investir mais no segundo semestre, na Série B", revela.
As categorias de base da Papada são reconhecidas pela formação de atletas. A direção continuará investindo e utilizando os jogadores formados no clube. "No início deste ano, 60% do nosso time era oriundo da base. Não sei se conseguiremos chegar a esse número na próxima temporada, mas nossa projeção é trabalhar com bastante jogadores da base em 2017", conta.
Sobre a manutenção do elenco que subiu para a Série B, Tonietto acredita que não conseguirá manter 100% dos jogadores. "Os nossos atletas se valorizaram muito. Dentro da nossa política de não extrapolar o orçamento, a perspectiva é ficar com pelo menos 70% do grupo. Algumas transações estão fechadas e outras estão em andamento. A ideia é manter a base atual", projeta.
Um dos destaques do ano no Jaconi foi o técnico Antônio Carlos Zago. O treinador, um dos principais responsáveis pelo acesso à Série B, se valorizou e acabou se transferindo para o Internacional. Para o seu lugar, o Ju anunciou Paulo César de Arruda Parente, o PC. O novo técnico, de 38 anos, foi indicado pelo próprio Zago e conhece bem o grupo de atletas que inicia a temporada de 2017.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia