Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de dezembro de 2016. Atualizado às 11h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

contas públicas

Alterada em 29/12 às 12h12min

Rio Grande do Sul quer 'construir algo' com a União após veto ao regime especial dos Estados

O secretário de Fazenda do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes, disse que "tentará construir algo em conjunto" com o governo federal para melhorar a situação financeira do Estado após o veto ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Antes da reunião com a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, Feltes reafirmou o apoio ao regime - cujo texto alterado foi vetado pelo presidente Michel Temer - e disse que o Rio Grande do Sul já adota medidas de contrapartida exigidas pelo governo federal.
"Vim falar sobre contrapartidas. Queremos minorar a situação que vivemos hoje", disse, ao comentar que o governo federal tem "contado centavos" para pagar os servidores públicos. Questionado sobre eventual operação temporária de apoio financeiro aos Estados, Feltes disse que vai "procurar construir algo para melhorar a situação" junto com o governo federal, mas não quis dar detalhes.
O secretário gaúcho reafirmou o apoio ao Regime de Recuperação Fiscal e lembrou que muitas das contrapartidas exigidas pelo governo federal no texto vetado pelo presidente já estão sendo adotadas pelo governo em Porto Alegre. "É fundamental deixar de pagar os próximos três anos", disse, ao comentar o prazo de carência nas dívidas da União oferecido pelo RRF aos Estados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia