Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016. Atualizado às 07h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 28/12 às 08h09min

Bolsas asiáticas fecham sem direção única em meio a volume baixo e alta em Nova Iorque

As bolsas asiáticas fecharam em direções mistas nesta quarta-feira em meio ao volume baixo de negociações e o bom desempenho das bolsas em Nova Iorque.
Na China, as bolsas de Xangai e de Shenzhen fecharam em baixa de 0,4%, aos 3.102,24 pontos e 1.972.35 pontos, respectivamente, em meio ao menor volume de negociação em três meses, refletindo um sentimento fraco antes do fim do ano. Os volumes de transações nas duas bolsas totalizaram cerca de 350 bilhões de yuans, o menor desde 30 de setembro, de acordo com a Wind Information.
O regulador de seguros da China proibiu nesta quarta-feira duas seguradoras de venderem produtos online, a última repressão às companhias de seguros estimulada pela desaprovação oficial da compra alavancada no mercado secundário. O aperto adicional dos regulamentos está levando à falta de entradas de fundos adicionais e colocará mais investidores à margem devido a incertezas políticas, dizem os analistas.
Já em Hong Kong, o índice Hang Seng registrou recuperação e fechou com ganho de 0,8%, ajudado por um aumento nas ações relacionadas à China. O China Construction Bank ganhou 4,8%, enquanto a gigante de tecnologia Tencent terminou com avanço de 2,2%.
Os mercados de ações no sudeste asiático estiveram entre os maiores ganhadores do dia, com o índice JSX na Indonésia subindo 2,1%, somando-se ao aumento de 1,5% na terça-feira. Analistas dizem que têm visto alguns fundos estrangeiros retornando às economias emergentes, empurrando para cima os mercados conservadores na região. Nas Filipinas, o Índice PSEi subiu 2,8%, enquanto o FTSE Straits Times em Cingapura ganhou 0,4%.
Impulsionado pela força pós-feriado no mercado de ações em Nova York, o índice Taiex de Taiwan fechou em alta de 1%, aos 9.201,40 pontos. O volume de negócios aumentou ligeiramente para 46,58 bilhões de dólares taiwaneses (US$ 1,44 bilhão), após dois dias de negociação fraca. O índice foi alavancado pela gigante de semicondutores TSMC, que subiu 1,1%, e pela fabricante de lentes Largan Precision, que obteve alta de 3,8%.I
Na Oceania, o bom desempenho de Wall Street também impulsionou as ações australianas. Em Sidney, o índice ASX 200 terminou com alta de 1% após um fim de semana de quatro dias, liderado por um rali entre os estoques de commodities. Dentre eles, a BHP Billiton encerrou com alta de 3,3%, a Rio Tinto com 2,4% e a Fortescue Metals com avanço de 3,5%.
"A nova melhora nas condições econômicas dos EUA alimentou a compra de cobre e minério de ferro, bem como os preços do petróleo", disse Michael McCarthy, estrategista-chefe de mercado da corretora CMC Markets.
O bom humor nos EUA veio depois que a confiança do consumidor americano subiu para 113,7 em dezembro, sua maior leitura desde agosto de 2001, de acordo com dados divulgados na terça-feira, em comparação com uma revisão de 109,4 em novembro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia