Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de dezembro de 2016. Atualizado às 07h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

26/12/2016 - 08h06min. Alterada em 26/12 às 08h07min

Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em alta, mas volume de negócios é fraco

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira (26), em dia de volume reduzido de negócios entre os feriados de Natal e de ano-novo.
Na China, os mercados terminaram o dia em tom positivo, apagando perdas de mais cedo, em meio a expectativas de que Pequim ampliará investimentos em projetos de infraestrutura de forma a impulsionar a segunda maior economia do mundo. O índice Xangai Composto subiu 0,40%, a 3.122,57 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,37%, a 1.978,37 pontos.
Menores preocupações com o mercado de bônus chinês, que enfrentou momentos de turbulência nas últimas semanas, também contribuíram para o bom desempenho das bolsas do país. O juro do bônus chinês de 10 anos recuou nesta madrugada, após tocar recentes máximas em 15 meses.
Em Tóquio, por outro lado, o Nikkei teve leve baixa de 0,16%, a 19.396,64 pontos. O iene se fortaleceu em relação ao dólar nos negócios asiáticos, pressionando as ações de exportadoras negociadas na capital japonesa, incluindo montadoras.
Entre bolsas asiáticas menores, o índice sul-coreano Kospi registrou avanço marginal de 0,09% em Seul, a 2.037,75 pontos, e o Taiex apresentou alta de 0,35% em Taiwan, a 9.110,54 pontos.
Ainda por ocasião do Natal, várias mercados da região da Ásia e do Pacífico não operaram hoje. Foi o caso das bolsas de Hong Kong, Filipinas, Malásia, Cingapura, Austrália e Nova Zelândia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia