Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de dezembro de 2016. Atualizado às 13h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 23/12 às 14h40min

México tem superávit comercial de US$ 200 milhões em novembro

O México obteve um inesperado superávit comercial de US$ 200 milhões em novembro, informou o Instituto Nacional de Estatísticas do país nesta sexta-feira. O resultado ocorreu graças a ganhos de dois dígitos nas exportações de bens manufaturados e também ao avanço das exportações de petróleo na comparação anual. As exportações aumentaram 11,1% na comparação anual em novembro, para US$ 34,47 bilhões, enquanto as importações cresceram 5,1%, para US$ 34,27 bilhões.
Em outubro, o país havia registrado déficit comercial de US$ 900 milhões. Em novembro de 2015, o déficit havia sido de US$ 1,57 bilhão. Para o mês passado, analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam déficit de US$ 749 milhões. O peso mexicano mais fraco beneficiou o resultado comercial.
As exportações de petróleo cresceram 6,8% na comparação anual, já que a estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) exportou 1,273 milhão de barris por dia de petróleo, acima dos 1,179 milhão de barris por dia de novembro de 2015. O preço médio obtido por barril subiu levemente, para US$ 38,20.
Com o resultado de novembro, o México acumula déficit comercial de US$ 13,16 bilhões nos primeiros 11 meses deste ano. O país enfrenta um quadro de incertezas diante do temor de medidas protecionistas do governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump. O empresário republicano diz que deseja reduzir o déficit comercial com países como México e China.
O México envia cerca de 80% de suas exportações para os EUA, além de receber cerca de US$ 26 bilhões em emissões de mexicanos que trabalham no vizinho. Cerca de 40% do investimento estrangeiro direto no país vem dos EUA.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia