Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de dezembro de 2016. Atualizado às 18h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 22/12 às 19h37min

Petróleo fecha em alta com dados positivos dos EUA e dólar levemente mais fraco

Os futuros de petróleo se firmaram no campo positivo nesta quinta-feira (22) e fecharam em alta, recuperando-se das perdas da véspera. De acordo com operadores e analistas, o forte crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no 3º trimestre, que se expandiu a uma taxa anualizada de 3,5%, ajudou a reviver o sentimento de que o apetite doméstico por derivados de petróleo pode enxugar os estoques.
"Hoje, eu acredito que a revisão do PIB aponta para crescimentos contínuos da demanda em 2017", disse Andy Lipow, presidente da Lipow Oil Associates.
O dólar levemente mais fraco também ajudou os preços do petróleo. Como a commodity é cotada na moeda norte-americana, um dólar menos valorizado torna o barril mais barato para compradores estrangeiros.
Com isso, o petróleo Brent para fevereiro, negociado na Intercontinental Exchange (ICE), fechou em alta de 1,08%, a US$ 55,05 por barril. Já o WTI para o mesmo mês, negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex), avançou 0,87%, para US$ 52,95 por barril.
Além disso, a Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês) dos EUA reportou uma queda nos estoques semanais de gás natural, movimento que costuma impulsionar os futuros de petróleo, pois sugere que o apetite por energia permanece saudável.
Mais cedo, os preços do petróleo foram pressionados após a estatal de petróleo da Líbia anunciar a reabertura de oleodutos no oeste do país. A nova produção pode gerar 270 mil barris por dia nos próximos três meses. O anúncio é feito em meio a um excesso de oferta mundial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia