Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de dezembro de 2016. Atualizado às 08h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

21/12/2016 - 09h00min. Alterada em 21/12 às 09h02min

Temor com setor bancário pressiona bolsas europeias e Monte dei Paschi despenca

As bolsas europeias operam com tendência de baixa nesta manhã (21), em meio a preocupações renovadas com o setor bancário da região, particularmente o da Itália. As ações do Banca Monte dei Paschi despencam após relatos de que a instituição financeira espera ficar sem liquidez bem antes do esperado. Já na Suíça, reguladores multaram bancos europeus e americanos por suposta manipulação de taxas de juros.
Em Milão, os papéis do Montei dei Paschi operam em queda de mais de 18%, após terem seus negócios brevemente suspensos mais cedo. O tombo veio após o banco mais antigo em atividade no mundo afirmar em documento que sua liquidez poderá acabar em quatro meses, e não mais em 11 meses, como havia previsto no fim de semana. Atualmente, a posição de liquidez do Monte dei Paschi é de 10,6 bilhões de euros (US$ 11,02 bilhões).
Além disso, a mídia italiana relata que uma oferta de troca de dívida por ações em andamento do Monte dei Paschi não tem sido satisfatória. Investidores de varejo teriam aceito trocar apenas 500 milhões de euros em bônus, de um total de 2,1 bilhões de euros.
O órgão suíço de defesa da concorrência, por sua vez, anunciou hoje que vai multar uma série de bancos em cerca de 99 milhões de francos suíços (US$ 96,3 milhões), por terem manipulados taxas de juros que influenciam uma série de empréstimos e produtos financeiros. A lista dos punidos inclui os europeus Royal Bank of Scotland, Deutsche Bank, Barclays, Société Générale e Credit Suisse, além dos americanos JPMorgan Chase e Citigroup.
Já na França, seis bancos estão processando o Banco Central Europeu (BCE) por suas rígidas exigências de capital, segundo o jornal britânico Financial Times.
A poucos dias do feriado de Natal, a agenda de indicadores da Europa está praticamente esvaziada e traz apenas o índice de confiança do consumidor da zona do euro, que será divulgado às 13h (de Brasília).
Mais cedo, o Banco Central da Suécia (Riksbank) decidiu manter sua taxa básica de juros na mínima histórica de -0,5%, mas ampliou o tamanho do programa de compra de bônus que vai até junho do ano que vem.
Às 8h48min (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,05% e Paris recuava 0,28%, enquanto Frankfurt mostrava alta marginal de 0,07%. Entre mercados considerados periféricos, Madri, Milão e Lisboa tinham perdas de 0,79%, 0,48% e 0,30%, respectivamente. No câmbio, o euro se fortalecia levemente, a US$ 1,0401, mas a libra esterlina perdia terreno, cotada a US$ 1,2347.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia