Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de dezembro de 2016. Atualizado às 18h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 19/12 às 19h23min

Petróleo fecha sem direção única afetado por Opep e morte de embaixador russo

Os contratos futuros de petróleo fecharam sem direção única na sessão desta segunda-feira (19), operando com volatilidade durante o dia. O acordo entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e países não membros do cartel continuou a influenciar os preços da commodity, assim como a morte do embaixador da Rússia em Ancara, Andrei Karlov.
O petróleo WTI para fevereiro, que passou a ser o contrato mais liquido, negociado em Nova York, na New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou em alta de 0,20%, a US$ 53,06 por barril. Já o WTI para janeiro, cujo vencimento é amanhã, subiu 0,42%, para US$ 52,12. Por sua vez, o barril do tipo Brent para fevereiro, negociado na ICE, fechou em queda de 0,53%, a US$ 54,92 por barril.
Nesta segunda-feira, os preços do petróleo começaram o dia em alta, na esperança de que os cortes na produção previamente acordados teriam um impacto significativo nos estoques globais, que competem com as preocupações sobre os estoques da commodity nos EUA.
"Por um lado, é preciso esperar para avaliar se vamos ver os cortes de produtores da Opep e de fora da Opep. Por outro lado, o aumento dos estoques de petróleo em Cushing está pressionando o mercado", disse Andy Lipow, presidente da Lipow Oil Associates em Houston. Nas duas últimas semanas, os estoques da commodity nos EUA caíram, segundo o Departamento de Energia (DoE) dos EUA, mas a quantidade de petróleo em Cushing subiu para 66,5 milhões de barris, aproximando-se de uma marca histórica.
A Opep prometeu cortar a produção para 32,5 milhões de barris por dia, mas muitos analistas expressaram dúvidas de que a meta poderá ser atingida, especialmente se os membros isentos do cartel começarem a aumentar a produção. A perspectiva de um aumento na produção da Líbia, que está isenta do corte, tem sido uma fonte de incerteza sobre a eficácia do acordo. No entanto, o Wall Street Journal informou no domingo que a Líbia Nacional Oil pediu uma interrupção do relançamento planejado da produção em dois campos de petróleo do país - o que foi visto como positivo pelo mercado.
A notícia da morte do embaixador russo na Turquia também influenciou os preços do petróleo. Os investidores afirmaram que a notícia do tiroteio levantou preocupações sobre os riscos políticos em todo o mundo, o que pode ser favorável aos futuros da commodity.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia