Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de dezembro de 2016. Atualizado às 17h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 19/12 às 18h59min

Dólar fecha em queda com fluxo positivo e ajustes

Após manhã de instabilidade, o dólar firmou-se em queda frente ao real e manteve-se em terreno negativo até o fim da sessão desta segunda-feira (19), influenciado por entrada de recursos no País e correção de ganhos recentes.
No mercado à vista, o dólar fechou em baixa de 0,50%, aos R$ 3,3723, tendo variado entre a máxima de R$ 3,4026 (+0,39%) até a mínima de R$ 3,3674 (-0,65%). De acordo com dados registrados na clearing da BM&FBovespa, o volume de negócios somou US$ 2,239 bilhões.
Já o contrato futuro de dólar para janeiro encerrou me queda de 0,91%, aos R$ 3,3745, com giro de US$ 14,053 bilhões. Ao longo do dia, o ativo percorreu a máxima de R$ 3,4145 (+0,26%) à mínima de R$ 3,3730 (-0,95%).
O recuo só não foi maior por causa da cautela com o ambiente político. As novidades sobre a delação de executivos da Odebrecht na Lava Jato hoje tiveram pouco efeito direto no câmbio doméstico, mas continuaram a alimentar o desconforto para investidas maiores.
Durante a tarde, a expectativa com o discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, ajudou a conter a queda do dólar. No entanto, como a dirigente trouxe poucas novidades de política monetária, o dólar futuro foi às mínimas no fim do dia, quando omercado à vista já estava fechado.
Cabe ressaltar que, no fim do dia, o Dollar Index subia 0,10%, enquanto o dólar recuava 0,04% frente ao peso mexicano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia