Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de dezembro de 2016. Atualizado às 19h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 09/12 às 20h49min

Dólar sobe ante rivais com expectativas de aperto monetário nos EUA

O dólar subiu na comparação com os seus principais rivais nesta sexta-feira, 9, apoiado nas expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) vai elevar as taxas de juros em um ritmo mais acelerado nos próximos anos. A decisão do Banco Central Europeu (BCE) de aumentar a duração de seu programa de estímulo também continuou a pressionar o euro.
No fim da tarde em Nova York, o dólar subia de 113,99 ienes na tarde de ontem para 115,26 ienes; o euro recuava de US$ 1,0618 para US$ 1,0556; e a libra caía de US$ 1,2579 para US$ 1,2575.
Os investidores dão como certo um aumento nos juros pelo Fed na reunião da próxima semana, mas aguardam por indicações do BC americano sobre possíveis aumentos em 2017. Nas últimas semanas, dados positivos dos EUA reforçaram o argumento para um aperto monetário no país em ritmo mais rápido no ano que vem.
Hoje, o índice de sentimento do consumidor dos Estados Unidos elaborado pela Universidade de Michigan subiu para 98,0 na leitura prévia de dezembro, de 93,8 no resultado final de novembro. O número ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam o indicador a 94,8.
"A antecipação de um aperto monetário adicional deve orientar o dólar mais alto à medida que avançamos até 2017", disseram analistas do BNP Paribas, em nota.
Enquanto o dólar avançava, o euro ampliou as quedas após o Banco Central Europeu (BCE) ter afirmado ontem que irá estender o seu programa de compra de bônus até dezembro de 2017. A moeda única da zona do euro ficou próxima do seu menor nível em um ano nesta sexta-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia