Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de dezembro de 2016. Atualizado às 18h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 08/12 às 19h53min

Bolsas de Nova Iorque batem novos recordes de fechamento impulsionados por BCE

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta e bateram novos recordes nesta quinta-feira, 8, na esteira do otimismo das praças europeias com a reunião do Banco Central Europeu (BCE), que refletiu nos papéis de empresas do setor financeiro.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,33%, aos 19.614,81 pontos; o S&P 500 avançou 0,22%, aos 2.246,19 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,44%, aos 5.417,36 pontos.
O BCE manteve as taxas de juros inalteradas e prolongou o seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), até dezembro de 2017. A partir de abril, as compras de bônus serão reduzidas de 80 bilhões de euros para 60 bilhões de euros. O anúncio impulsionou as ações dos bancos europeus e levou o otimismo para instituições financeiras americanas. O Goldman Sachs subiu 2,45%; o JPMorgan avançou 1,25%; o Bank of America ganhou 1,73%; o Citigroup teve valorização de 1,85%; e o Morgan Stanley teve alta de 2,20%.
A tendência de alta das bolsas de Nova York vem desde a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais. Os investidores acreditam que o futuro governo dos EUA irá cortar impostos e aumentar os gastos com infraestrutura, fazendo com que haja um crescimento maior na economia americana e com que a inflação volte a crescer. "O impulso e a euforia poderiam levar o Dow Jones a 20 mil pontos", disse Kent Engelke, diretor-gerente da Capital Securities Management.
Alguns analistas, no entanto, preferem a cautela sobre as ações de Trump em sua política fiscal. "A promessa da política fiscal de Trump é encorajadora, mas temos que discernir a diferença entre a postura e a política do nosso presidente eleito", disse Eric Wiegand, gerente de carteira do U. Bank Wealth Management.
O setor de energia também registrou alta hoje, com os preços do petróleo subindo na sessão, devido a expectativas com a reunião de sábado entre a Opep e países que não participam do cartel para decidir um corte na produção da commodity. As ações da Chevron avançaram 0,64% e as da ExxonMobil ganharam 0,28%.
Ações de empresas do setor de tecnologia também avançaram nesta quinta-feira. O Facebook subiu 0,81%; a Apple teve alta de 0,96%; o Google ganhou 0,47%; e o Twitter teve avanço de 0,82%.
Único indicador do dia nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego caíram 10 mil na semana, para 258 mil. O resultado ficou pouco acima da previsão dos analistas, de queda para 255 mil pedidos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia