Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 25 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h21.

Jornal do Comércio

Colunas

CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 26/12/2016. Alterada em 25/12 às 19h52min

O Fusca amarelo

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Sabe, moço, eu também já fui jovem e objeto de desejo de milhões de pessoas em todo mundo. Tenho quase 22 milhões de irmãos, é mole? No dia 16 dezembro de 1959 comecei a ser fabricado no Brasil. Arrasei, modéstia à parte. Já fui até ator principal de um filme campeão de audiência, as mulheres suspiravam por mim. Mas não me iludo. Eis me aqui, sujo, com o pneu vazio - sinal que o dono ainda gosta de mim. Ah, a juventude! Vocês vão ver como passa depressa.

As casas da Luciana

O STJ declarou a inexistência de valor histórico arquitetônico das casas da rua Luciana de Abreu, no bairro Moinhos de Vento. A decisão concluiu que as construções não foram projetadas por Theo Wiedersphan. Pena que não tenha saído um acordo lá atrás, porque a construtora pretendia preservar três das seis casas. Leia a matéria.
 

A salvação da lavoura

Foi um estranho Natal. Além do derretimento da renda da população somado à inadimplência, o baixo fluxo dos veículos na Capital na sexta-feira e sábado contrastava com o congestionamento nas vias de acesso à free way. Para os que ficaram, poucos serviços abertos. Mesmo as tele entregas estava, na maior parte, fechadas. A salvação da lavoura foram, mais uma vez, os mercadinhos dos bairros. Longa vida a eles.

Aluguel para estudantes

A Guarida lança um e-book sobre aluguel para estudantes, com dicas sobre o processo de locação, busca do imóvel, passando por toda parte burocrática, até o momento de tornar-se um inquilino. É uma ferramenta valiosa para estudantes, especialmente os vindos do Interior.

A Propaganda e o PIB

Apesar de todas as dificuldades econômicas deste ano, o Sindicato das Agências de Propaganda RS conquistou 15 novos sócios e ampliou a estrutura de atendimento às agências, segundo o presidente Fernando Silveira. O problema é que, no Brasil, muitos ainda acham que propaganda é despesa e não investimento. Ledo engano: cada R$ 1,00 gasto em publicidade gera, em média, R$ 10,69 para o conjunto da economia.

Profetas do óbvio I

Passou o tempo em que a imprensa não fechava a edição por esta época sem ouvir os videntes e astrólogos. O mise-em-scène requeria um turbante com falsa esmeralda e bola de cristal (de vidro). Como no horóscopo, a chance de acerto era quase 100%, tipo "um casal de artistas famosos vai se separar". Hoje, eles já casam com cláusula de separação obrigatória.

Profetas do óbvio II

Entre outras futurologias recorrentes, causava impacto o anúncio que no ano seguinte um terremoto ou grande desastre natural causariam muitas mortes. Ninguém previa tsunamis naqueles tempos - aliás, ontem houve um alerta e também caiu um avião russo. Também diziam que um político famoso morreria. Ninguém previu a Lava Jato, seja pessoa física ou jurídica.

Sucesso absoluto

O deputado Tiago Simon (PMDB) está eufórico com a repercussão nacional obtida pelo seu Projeto de Lei nº 45/2015, que regulamenta em nível de Estado a lei federal anticorrupção. Com o tsunami das sucessivas delações premiadas, o parlamentar tem agenda lotada com palestras e para participar de eventos que tratem do tema. Aliás, Tiago é a cara do pai, mas com uma Amazônia capilar na cobertura.
 

Miúdas

  • RESUMO deste Natal cabe numa frase entreouvida em um shopping: "Olhei, mas não comprei".
  • DÁ uma tristeza constatar que a Missa do Galo rezada à meia-noite do dia 24 hoje tem que ser adiantada por causa dos assaltantes.
  • PESQUISA do Instituto Ipsos mostra que o juiz Sérgio Moro tem o apoio de 66% da população e rejeição de 22%.
  • CALOR forte descarrega mais rapidamente a bateria dos celulares, ainda mais se levados junto ao corpo.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia