Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de novembro de 2016. Atualizado às 18h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

Alterada em 22/11 às 19h49min

Líderes da base governista na Câmara entregam carta de apoio a Geddel

Um grupo de 17 parlamentares composto por líderes e outros deputados entregou nesta terça-feira, 22, um manifesto em apoio ao ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. O documento foi entregue pelo líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), que reconheceu o esforço e a importância do trabalho desenvolvido pelo político que foi acusado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.
Moura lembrou das vitórias conquistadas pelo atual governo e que tiveram participação direta do ministro. Também presente na cerimônia, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) exaltou a capacidade política de Geddel e o classificou como "articulador da melhor qualidade". Após receber o documento, o ministro agradeceu o apoio dos parlamentares. "Vamos trabalhar porque o Congresso nos espera", disse.
A carta que tem 27 assinaturas cita que o grupo presta "amplo e irrestrito apoio" e demonstra "confiança no trabalho que vem sendo realizado pelo ministro Geddel à frente da Secretaria de Governo". Para o grupo, "o ministro está conduzindo a pasta de maneira técnica e competente" e tem como "premissa maior o diálogo". "Sendo também um dos protagonistas das sucessivas vitórias que o atual governo vem obtendo nesse Parlamento".
"Já tendo atuado por cinco mandatos na Câmara, o ministro Geddel tem demonstrado o conhecimento e a destreza necessários para realizar a articulação política do governo e coordenar o relacionamento do presidente da República com o Congresso, movimentos sociais e partidos políticos", cita a carta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia